terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Nota contra o aumento da tarifa de ônibus

Mais uma vez a história se repete, as empresas novamente pedem um aumento na tarifa de ônibus. Não satisfeitas com o já absurdo valor de R$2,75, elas querem que cada cidadã/ão gaste R$3,10 para exercer seu direito de ir e vir pela cidade (ou pague a multa embarcada, por não comprar antecipadamente a passagem, de R$3,10 para R$3,50).

O atual prefeito Carlito Merss (PT) já declarou sem constrangimento algum que “que dará o reajuste da passagem de ônibus ainda em seu governo”[1]. O que mostra mais uma vez que seu compromisso é sim com as empresas e ricos dessa cidade, e não com o povo. Ele que se negou a debater o transporte público como direito da população e encará-lo como um problema social. Não apresentou mudança alguma na proposta de seu governo para a licitação do transporte coletivo, deixando-o nas mãos da iniciativa privada [2].  Como seu governo quer aumentar a tarifa, se nem lançar a licitação ele foi capaz?

É esse governo agora que quer limpar a barra de seu sucessor Udo Döhler (PMDB). Isso mostra que se existe algum compromisso além dos já evidentes com as empresas, ele é com a politicagem, com a troca de favores. Nós temos que ter a clareza que Udo faria o mesmo que Carlito, como já revelou em entrevista ao Jornal A Noticia, ele deixou isso claro, ao afirmar também sem constrangimento algum que “a correção pela inflação é válida”. [3]

Para nós, o povo, a opção é a luta popular! É a organização! É tomar as ruas! Parar a cidade, e dizer que ela só voltará ao normal sem esse aumento! Resta-nos seguir os exemplos de Florianópolis nos anos de 2004 e 2005, onde o povo revogou o aumento da tarifa após semanas de intensos protestos. De Vitória/ES também em 2005. De Teresina-PI em 2011, e de Natal- RN, que esse ano também barrou o aumento da tarifa. Esses são exemplos de luta que devem nos inspirar, e que nos mostra e prova a força do luta popular, unida e determinada em busca do mesmo objetivo.

Nós devemos exigir que o processo da licitação seja feito de forma democrática, debatendo esse sistema falido e viciado, que penaliza ano a ano o povo com aumentos na tarifa. Devemos propor uma alternativa a esse modelo. Enquanto isso, é inaceitável qualquer aumento da tarifa, seja ele de R$0,35 ou de R$0,01. 

Nós do Movimento Passe Livre chamamos por unidade da luta contra o aumento da tarifa!

Devemos golpear juntos, unidos pela luta!

Toda tarifa é um roubo!

Por uma vida sem catracas! 

1 comentários:

Yermandu Daniel disse...

Em minha cidade o aumento vai de 2,60 para 3,30, uma absurda elevação de 27%
O que vejo é que os aumentos estão na moda, ou seja diversas cidades no Brasil aumentando as tarifas, como esse ano acabou e é tudo farra, o que teriamos que fazer é uma mobilização nacional tipo o dia da catraca.