sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Tuitaço nacional contra o aumento entra nos Trending Topics do Twitter.

Apesar do Tuitaço Nacional contra os aumentos das tarifas de ônibus ter começado pra valer hoje (28/01), as 10h, a hashtag #contraoaumento já estava sendo tuitada alguns dias antes. Além de colocar em debate a situação do transporte coletivo no Brasil, a campanha, promovida por movimentos sociais (entre eles o MPL Jlle) e entidades estudantis, tinha também como foco pôr a hashtag no Trending Topics (TTs) do Twitter, o ranking que mede os assuntos mais tuitados. Cerca de uma hora após a campanha ter oficialmente começado, a hashtag #contraoaumento já estava em 1º lugar no TTs Br e em 3º no TTs Worldwide. Do norte ao sul do país, vários tuites de indignação contra o aumento e contra a exploração do transporte coletivo.

Obviamente, não esperamos que o transporte coletivo mude a partir de uma rede social, como é o Twitter. O tuitaço é uma "extensão" dos protestos que estavam (e estão) acontecendo nas ruas de várias cidades do Brasil.

2 comentários:

daltro disse...

Só reclamar não adianta, vamos exigir o PLEBISCITO JÁ, só assim teremos voz ativa e faremos valer nossos esforços.



Se a gente quiser mudar realmente a situação também precisamos de voz ativa. Senão vamos ficar igual crianças, achando ruim porque o garçom não quer vender cerveja.


Isso somente teremos se o próprio povo puder convocar o Plebiscito. O que só seria possível se colhermos assinaturas para que uma Iniciativa Popular mude a Lei.


Vamos exigir nossos direitos, PLEBISCITO JÁ.


Os americanos decidiram 160 projetos de Lei por plebiscito na última eleição deles, porque não fazemos o mesmo aqui? Se o movimento tiver um foco, ser mais objetivo, não se limitando exclusivamente a se colocar contra o aumento, terá muito mais força e adesão.


Detalhes

Já conseguimos aprovar várias INICIATIVAS POPULARES.



A última foi o FICHA LIMPA.



Quando chega no Congresso, uma iniciativa popular é uma verdadeira bomba, com manifestações no país inteiro em cada etapa que a Lei passa, até sua aprovação final.



É uma vergonha, o Brasil é o único país do mundo onde tem plebiscito, e não é o povo que o convoca, mas sim o Congresso.


Pra gente dar entrada, já temos os formulários fornecidos em Brasília. Inclusive estamos em contato com duas entidades que participaram do FICHA LIMPA.


É só colher as assinaturas, isso dará um impulso gigantesco a todo o movimento, porque as pessoas vão ver aquela luz no fim do túnel. Elas perceberão que existe a possibilidade real de fazer valer a vontade popular, e se empenharão além dos protestos na rua, coletando assinaturas nas escolas, universidades, locais públicos, de trabalho, etc. Teremos milhares de comitês coletores de apoio à nossa iniciativa popular. Isso será apenas o começo, pra que possamos quebrar tantas outras catracas visíveis e invisíveis, que se espalham pelo país.



Modelo de formulário do FICHA LIMPA, onde a gente teria que anotar os dados e coletar as assinaturas:


http://www.scribd.com/doc/18276521/Formulario-de-Coleta-de-Assinatura-de-Ficha-Limpa





Por favor, a gente queria saber a opinião de vcs, é muito importante. Temos gente que está disposta a dedicar alguns anos de vida neste projeto, que é de todos nós. Tenho certeza que será possível somar as forças da sociedade para conquistar esse avanço histórico em nossa democracia. Aguardo resposta.

abçs

Cidadão disse...

Existem muitas formas de exigir nossos direitos como cidadãos, bacana o Tuitaço Nacional, as pessoas devem se organizar, ir para as ruas, marcar reuniões com os representantes públicos exigindo uma licitação limpa... (pois Joinville,segundo dados do IBGE de 2010 já tinha 515.250 habitantes)...com auditoria do Ministério Público e que a população tenho acesso a essa auditoria. Outra forma de protesto é o boicote. Nós cidadãos é que mantemos a máquina capitalista, se não consumirmos,as empresas do Transporte Privado (pois no Brasil não existe Transporte Público) não lucram. Então você estudante se puder vá de biclicleta, você trabalhador vá caminhando, pegue uma carona com seu vizinho. Nós precisamos de transporte, mas as empresas também precisam de nós. Sem a população o monopólio do transporte quebra.