segunda-feira, 22 de outubro de 2007

"Diesel sem ICMS já" é projeto eleitoral




Ônibus com adesivo da campanha Diesel sem ICMS Já, em Florianópolis.

A maioria dos usuários de transporte coletivo já deve ter reparado: no vidro da frente da frota de ônibus da Gidion e Transtusa estão colados adesivos com os dizeres "Mais inclusão social. Diesel sem ICMS Já". A campanha pelo fim deste imposto é um projeto de autoria do deputado estadual Darci de Matos (DEM). Darci escreveu o projeto por cinco motivos:

1) Darci quer ser prefeito de Joinville
2) Com o projeto, ele agrada uma fatia poderosa do empresariado, no caso, os Bogo e os Harger
3) Agradando o empresariado, consegue mais doações para sua campanha, que não deve sair por menos de R$ 1 milhão
4) De quebra, seu nome será divulgado como "o homem que baixou as tarifas de ônibus"
5) Com isso, ele ganha força para sua campanha

O problema é que a campanha, além de oportunista, vai "gerar inclusão social" reduzindo a tarifa de R$ 2,05 para R$ 2,00. Ou seja, uma família de quatro pessoas que gasta R$ 426, 40 com transporte por mês vai economizar R$ 10,40. Uma puta inclusão social, não acham?

Esse tipo de medida é algo que não vai solucionar o problema maior, que é a alta taxa de lucro dos empresários e a tarifa mais alta de Santa Catarina. Ela é um alívio momentâneo ao problema, mas que voltará em dois ou três anos.

Aprovar o projeto de Darci é fazer tudo ao contrário: o governo não deve financiar os empresários para que eles possam lucrar .O Movimento Passe Livre acredita que a solução para as altas tarifas é a criação de um fundo municipal de transportes, onde o governo deve cobrar mais impostos da parte mais rica. Aumenta-se o IPTU de mansões de luxo e bancos, mais o dinheiro de multas de trânsito e IPVA para financiar a tarifa gratuita para todos e todas.

1 comentários:

Tatiane disse...

Bom texto... darci sempre querendo se dar bem!!